Você Precisa Ouvir | Like a Prayer – Madonna | Álbum Crítica

“…é o mais perto que o pop já chegou da arte” –  Rolling Stone.

Não é atoa que Madonna é conhecida mundialmente como “Rainha do Pop“. A cantora já inventou e reinventou o próprio estilo, tantas vezes, que podemos chama-la de metamorfose ambulante, como cantava Raul.

Eu li recentemente algumas listas dos álbuns da Madonna, do pior para o melhor, onde “Like a Prayer” sempre se encontrava entre os melhores, ou sendo o melhor. O “Você Precisa Ouvir” de hoje explicará o porquê desse disco tão polêmico ser tão aclamado por todos.

Like a prayerVamos começar pela capa, que trás a cintura de Madonna com muitas jóias e uma coroa em cima da letra “O” de seu nome. A barriga da cantora não está ai por acaso, já que representa coragem e a não vinculação direta com o catolicismo, que diz que a barriga de uma mulher não deve ser mostrada. Não que Madonna estivesse se despedindo de seu Deus, mas a religião não a representava mais.


Seu lançamento ocorreu em 21/03/1989. O disco conta com onze faixas, sendo que cinco delas foram single, essas são: ‘Like a Prayer”, “Express Yourself”, “Keep it Together”, ‘Oh Father” & “Cherish”.

Sua sonoridade é bem ampla. Passa pelo Pop, R&B, Hip-Hop e até pelo Gospel. Algumas das faixas foram produzidas por Prince. Em geral, o disco conta com guitarra, bateria, violão, órgão, etc, é uma infinidade de instrumentos. Tem uma baita produção por trás.

Madonna usa seu disco para conversar sobre muitas coisas, como divórcio, religião, sua mãe, seu relacionamento com o pai, sua família, o amor, feminismo, atentados, etc. É incrível como ela expressa tudo o que sente, com composições tão fortes, em um CD com apenas 11 faixas.

Ne época em questão, no final da década de 80, a cantora já estava desfrutando um dos auges de sua carreira, que só voltou a ter a mesma intensidade lá em 2005. O lançamento de “Like a Prayer” foi um choque para a sociedade americana e mundial. Não era comum tocar nesses assuntos tão polêmicos em uma época com tantos tabus.

Junto de seu CD, Madonna inseriu um folheto que informava os jovens sobre os perigos da AIDS. Uma das poucas artistas que tocou no assunto sem julgar os infectados.

Seu primeiro vídeo-clipe promocional, que leva o nome do álbum, não foi nada bem aceito pelos religiosos da época. Este trás Madonna no papel de uma mulher que testemunha um assassinato, mas não sabe se deve informar à polícia os verdadeiros assassinos. O intuito do vídeo era falar sobre como a polícia e a religião crucificavam os negros, junto da Ku Klux Klan, que ainda era um perigo para os afro-descendentes norte-americanos. Ninguém nunca mais terá a coragem de Madonna.
Imagem relacionadaDentre as onze faixas, minhas favoritas são

Like a Prayer, obviamente, que assemelha o amor com a religião, de uma maneira um pouco irônica. O vídeo-clipe é bem polemico e icônico, nele a cantora se vê apaixonada por um santo negro. Madonna chegou a perder um contrato com a Pepsi por conta disso, fora que seu clipe foi condenado pelo próprio Vaticano.

Express Yourself, onde a cantora manda uma mensagem super feminista pra suas fãs. Na letra, Madonna diz para não aceitar ser a segunda opção e colocar seu amor em jogo. A canção inspirou “Born This Way” de Lady Gaga, outro hino de auto aceitação.

Spanish Eyes, uma balada muito linda, fala sobre o amor entre Salvador Dali e Federico Garcia Lorca, esse que foi morto pela ditadura Espanhola. A música retrata a amargura dos homossexuais que foram reprimidos mais uma vez e de uma forma tão horrível.Imagem relacionadaConsiderações finais: É realmente uma bíblia do pop e, com certeza, será muito difícil algum outro cantor ou cantora superar esse feito que Madonna conseguiu. Se eu pudesse descrever esse disco em apenas uma palavra, seria Arte.

Algumas músicas, infelizmente, são bem melhores do que outras. Um exemplo é “Love Song” – que tem um instrumental estranho e uma produção bem bizarra, mas tem uma letra muito interessante sobre um relacionamento conturbado – e “Act Of Contrition” que é simplesmente assustadora, com um remix de “Like a Prayer” tocado de trás para frente, mas é interessante pelo fato da religião não ser apenas o amor, mas o medo também.

Para comemorar os 30 anos de lançamento do disco, Madonna lançou uma edição de aniversário que vem com a faixa ‘Supernatural”, confira:

Nota: 4,8/5.

Ouça:

iTunes

google music

Link

9 comentários sobre “Você Precisa Ouvir | Like a Prayer – Madonna | Álbum Crítica

  1. Um fato interessante sobre a capa é o fato de mostrar a barriga dela, que segundo a tradição católica em que foi criada era algo condenável. A capa é então um enfrentamento à tradição que lhe foi imposta na juventude.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Na verdade, a música Spanish Eyes é sobre o amor entre Salvador Dali e Federico Garcia Lorca, o último foi morto pela ditadura Espanhola durante o periodo da grande guerra. É sobre o preconceito contra os homosexuais.

    Curtido por 1 pessoa

Comenta ai :]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.