Zedd – “365” (Feat. Katy Perry) | Nem o tempo pode parar um amor verdadeiro | Crítica

Ao lado de Katy Perry, Zedd cria balada eletrônica sobre a intensidade que é amar alguém

Imagem

Após muitos rumores, Zedd finalmente lança a tão aguardada colaboração com Katy Perry. Em 2014 o DJ havia tentado uma parceria com a cantora, que até onde sabemos recusou. Zedd queria muito a voz de Katy em seu álbum “True Colors” de 2015, pois havia composto uma canção especial para a voz de Katy, e então convidou uma cantora com uma voz bem parecida com a dela. A faixa em questão, creio eu, é a “Daisy”.

“365” foi vazada quase duas semanas antes de seu lançamento. Os fãs pensaram que o DJ iria acelerar o lançamento, mas na verdade a reação do público foi excepcional para alterar um pouco da música.

A música carrega um clima um pouco dark no início, com notas sombrias. Também tem uma pegada bem oriental, lembrando um pouco o sucesso “Legendary Lovers” de Katy.

Ao fundo percebemos os tic-tacs do relógio, que também compõem o instrumental. A canção cresce um pouco mais a cada refrão, perdendo um pouco a sombriedade e ganhando cada vez mais uma melodia sensual. Os vocais de Katy estão ótimos, bem graves e sexys. A cantora não força agúdos , uma vez que sua voz é quase sussurrada.

Já sua composição possui uma carga de pieguice e sentimentalismo romântico, um tanto quanto obsessivo na verdade. Katy canta sobre estar tão apaixonada por alguém, que quando está com seu amado o tempo parece não passar. Isso nos remete ao atual relacionamento da cantora com Orlando Bloom, então diferente do que pensamos, a música fala sobre um amor verdadeiro, que não desgasta com o passar do tempo.

Ao que tudo indica, Katy realmente participou do processo de criação da música. “365” não é um daqueles trabalhos genéricos de Zedd, que encontramos em “Clarity”, mas é a mais pura prova de que duas mentes funcionam melhor que uma. A letra é um pouco simples de mais, mas se tratando de um Eletropop, ta de boa.

Nota: 4/5.

Assista ao clipe:

Dirigido por Warren Fu, o vídeo utilizado para promover o single possui muitas referências futuristas. Chega a lembrar o cenário de “Bedtime Story” da Madonna, soa um pouco como Björk. A personagem de Katy é um protótipo de robô que foi desenvolvido para ser a “mulher perfeita”, mas acaba não se encaixando bem em seu relacionamento e desenvolve certas emoções de desgosto. O vídeo lembra muito o episódio “Playtest” de Black Mirror.

Comenta ai :]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.