Indicação LGBT: “Special” – Nova série original Netflix | Crítica

Netflix cria série sobre o cotidiano de um homossexual com paralisia cerebral e mostra como é o verdadeiro mundo gay

Resultado de imagem para special netflix

Dirigida por Anna Dokoza, “Special” é uma série de comédia dramática norte-americana que foi hadaptada da biografia “Eu sou especial: e outras mentiras que contamos para nós mesmos” (2015) escrito por Ryan O’Connell, que também é o criador, roteirista e protagonista da série.

A história gira em torno da vida de Ryan, um homem homossexual que possui paralisia cerebral. O roteiro foca muito mais em suas experiências sociais – como Ryan interage com as outras pessoas e como ele se sente em relação à outros homens – do que de fato em seu problema. O protagonista, no primeiro episódio, é atropelado e decide fingir que sua falta de cordenação motora é decorrente disso, para não contar que possui PC.

Resultado de imagem para special netflix

As atuações são ok, nada espetacular, inclusive o roteiro tende a criar personagens muito característicos, presos algumas vezes a estereótipos. Não achei que a série se aprofundou o bastante em nenhum deles, nem mesmo no protagonista e olha que este possui ótimos pontos a serem explorados. Ainda sim são todos engraçados em algum momento.

A mais explorada foi a mãe de Ryan, que possui problemas e uma grande dificuldade de viver a própria vida. Por ter um filho com PC, seu cuidado e preocupação foram dobrados, e aos poucos conseguimos ver sua real personalidade, escondida por trás da super proteção.

Chega um momento na série em que a personagem mais sensata é a “vilã”, que no caso é a chefe de Ryan, que manda uma real sobre ele sentir autopiedade.

Outro ponto engraçado no roteiro é o fato de que Ryan, por ser um cara totalmente fora do cardápio gay, só procura homens que estão dentro do padrão. Em um dos episódios fica subliminar àquele velho dilema de que “gays só querem farra” e são preconceituosos até com caras que são iguais a eles.

É uma série rápida e fácil de assistir, e nos arranca muitas risadas, entretanto não consegui ignorar a quantidade de problemas que surgem no roteiro. São inseridas várias pautas que os roteiristas simplesmente não desenvolvem. Um bom exemplo é o caso de Alzheimer que aparece do nada na série e desaparece tão rápido quanto.

Nota: 6/10.

Assista ao trailer:

2 comentários sobre “Indicação LGBT: “Special” – Nova série original Netflix | Crítica

Comenta ai :]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.