CRÍTICA: Ed Sheeran – No.6 Collaborations Project

Após uma era muito bem sucedida com o hinário “÷” (Divide), o ruivo mais amado do mundo volta aos charts com mais um trabalho inusitado. Desta vez se trata de um álbum todo composto de colaborações. Quase como um disco do Clean Bandit, só que menos glamuroso.

Ed Sheeran - no. 6

O jovem cantor inglês é na verdade um incrível marketeiro (ou possui uma ótima equipe de marketing por trás), pois soube utilizar de tudo o que mais está fazendo sucesso atualmente para trabalhar em cima do conceito de seu novo álbum. Tendo um nome tão relevante na indústria, era óbvio que ele conseguiria ótimas colaborações, com nomes de peso, como Cardi B, Camila Cabello e até mesmo Justin Bieber.

Ainda que sua nota no Metacritic tenha sido um fiásco (recebeu 57 dos críticos e 51 dos usuários), Ed sabe que isso não o atrapalhará comercialmente, pois com as escolhas certas de singles, com certeza o álbum irá decolar cada vez mais.

Ed sheeran no 6 collaborations project

Sheeran investe alto no Hip-Hop e no Trap, com boas influências do Lo-Fi, fugindo um pouco do Pop chiclete de “Divide”. Ainda sim há faixas que soam muito com seu terceiro álbum, como exemplo “I Don’t Care”, em parceria com Justin Bieber, e “South Of The Border”, com Camila Canbello e Cardi B – essa última tenta soar com “Shape Of You”, e provavelmente Ed tentará alcançar os mesmos números.

Grande parte das faixas possui uma característica bem “comercial” – ou seja, é música para vender – e não que as canções sejam ruins, mas senti que o artista está perdendo seu lado “compositorzinho fofo do violão”, imagem com a qual ele se consolidou, mas mudanças acontecem.

Ed sheeran

O disco conta com 15 canções, e isso foi algo que me surpreendeu bastante -pois eu achei que seria um EP, não um álbum kkkk. E ainda que tenham massacrado “No.6” nas críticas, eu realmente notei que trata-se de uma evolução do estilo de Sheeran, porque sinceramente, o álbum “Divide” conta com 16 faixas, e apenas 3 se destacam, enquanto este trás ótimas músicas, com boas oportunidades de single.

Dentre todas as músicas, as que mais me chamaam a atenção foram “Best Part Of Me”, em parceria com a YEBBA, que lembra um pouco da era “Plus”, com um instrumental acústico.

“Feels” é simplesmente a melhor música do disco, ou pelo menos a que deveria ser utilizada como lead single do álbum. A canção é um Hip-hop bem encorpado em colaboração com Young Thug e J Hus.

“Put It All on Me” também é incrível e explora o R&B. Ed Sheeran convida a Ella Mai para compor os vocais da canção.

“I Don’t Want Your Money” ao lado de H.E.R. é outra grande surpresa do álbum. A cantora brilha e esbanja vocais ao lado de Ed, que solta ótimas rimas.

Por último, “BLOW” é a faixa que encerra o disco e é a mais over de todo o conjunto. Ao lado de Bruno Mars e Chris Stapleton, Ed Sheeran prova que também entende de Rock.

Ed sheeran no 6 collaborations project

Considerações finais: Está claro que Ed Sheeran sabe do que está fazendo, pois ao misturar seu nome com o de outras grandes estrelas da música, não está trazendo nada mais do que visibilidade para o seu nome.

“No.6 Collaborations Project” é incrivelmente inovador e rentável, e Ed sabe disso, mas trata-se também de saber utilizar de estilos, sem que haja apropriação sobre eles e por cotna disso o cantor resolveu navegar pela Black Music. As canções não são ruins, muito pelo contrário, porém são pouco profundas e sentimentais.

Nota: 7,5/10.

Ouça na íntegra:

Download.

Comenta ai :]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.