Crítica: Iggy Azalea – Wicked Lips (EP)

Após abandonar a Island Records e lançar seu polêmico “In My Defense”, lançado no mês de julho, Iggy Azalea notou que algumas das faixas descartadas poderiam ser reaproveitadas. A rapper pensou em uma versão Deluxe de seu álbum, mas no final decidiu lançar um projeto separado, e nasceu então o EP “Wicked Lips”.

Iggy lançou o projeto nesta segunda-feira (2) e este contém 4 faixas, sendo duas delas colaborações. O EP foi divulgado em parceria com a gravadora independente na qual a rapper vem trabalhando, a Bad Dreams Records & EMPIRE. A produção ficou nas mãos de Carl Falk & J. White Did It.

Iggy Azalea - Wicked Lips

Após todo aquele burburinho de que todas as músicas de “In My Defense” são iguais, teve até crítica negativa por parte do site Pitchfork, Iggy Azealia investiu em uma sonoridade mais diversa, com canções cada vez mais próximas do Dance Pop, mas sem abandonar o seu bom e velho Hip-hop. Os produtores por trás das faixas fizeram um excelente trabalho, e ouso dizer que o EP se destaca ainda mais que o seu álbum de estúdio.

“Lola” é a música que dá início ao disco, e esta é em parceria com a cantora Alice Chater. A canção se assemelha muito à “I Like It” de Cardi b. Foi o primeiro single liberado por Iggy e vem acompanhado de um clipe incrível. A canção utiliza um sample do sucesso “Mambo Italiano”, dos anos 50. A letra brinca com essa coisa da pessoa que vive um grande drama, mas tenta sempre parecer fabulosa.

A faixa que se segue é “Not Important”, que fala sobre ostentação de uma forma engraçada. A rapper conta uma história sobre esse cara que tentou conquista-la se gabando de suas riquezas, mas não passa de um zé ninguém, que mente sobre si mesmo para se enciaxar em grupos sociais de alto nível.

depois temos a tão aguardada parceria de Iggy com Pabblo Vittar, uma música chamada “The Girls”. Pabblo canta o refrão da música, que é bem explosivo, do jeito que os gays gostam. Iggy faz seu rap de forma agressiva para seus haters e a sociedade machista, os acusando por seu ódio, enquanto Vittar faz a linha paz e amor.

“Se eu falar o que penso, perco dinheiro. Se cruzo sua linha, você me tira. Então eu digo que estou bem quando não está”, declara Iggy Azalea na letra de “The Girls”.

O EP finaliza com a faixa “Personal Problem”, que traz aquela velha mensagem de “você me odeia tanto, que no fundo deve me amar”. A letra é direcionada para seus haters, que insistem em compara-la com outras rappers, sendo que Iggy sempre está quietinha em seu canto fazendo seu dinheiro.

Iggy Azalea - Wicked Lips - ep

“Wicked Lips” pode ser traduzido para “lábios perversos”, onde podemos interpretar que a mensagem principal seria sobre a sociedade, que se empenha em ser perversa com Iggy. Também pode ser que a rapper esteja assumindo esse papel de vilã ao escrever letras ácidas à quem ela despresa. No fundo é só uma continuação de “In My Defense”, que traz a mesma mensagem por trás. Os feat’s são o verdadeiro destaque da obra.

7,8/10 – Nota.

Ouça na íntegra:

Comenta ai :]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.