Resenha: Madonna – “Bedtime Stories” | Um álbum sobre amor

Após uma era bastante sensual em sua carreira, como foi a “Erotica”, que durou de 1992 a 1993, Madonna acabou sofrendo muito boicote por parte da mídia, que a atacava de forma sexista. A cantora teve sua imagem manchada, principalmente após o lançamento do livro “Sex”, disponibilizado junto ao disco. Foi em 1994 que a artista resolveu finalmente colocar um ponto final nisso.

Nota:

8,9

“Bedtime Stories” é o sexto disco de Madonna em estúdio, lançado em 25 de outubro de 1994, pelas gravadoras Maverick Recording Company e Sire Records. A produção da obra ficou nas mãos da própria cantora, em colaboração com Babyface, Dallas Austin, Dave “Jam” Hall, e Nellee Hooper. Madonna sempre gostou de trabalhar com produtores variados, então é bem difícil ver o mesmo produtor creditado em mais de um de seus álbuns.

Os anos 90 foram o palco do R&B e do Hip-hop, logo, a cantora quis fazer um experimento musical, e não é que ficou bom? Tendo em vista que os estilos são mais populares na cultura negra. Na época, Mariah estava começando sua carreira em grande estilo, e Madonna quis ir no embalo do Rhythm And Blues.

O álbum é incrível do início ao fim, só destoa-se um pouco de seus trabalhos anteriores. Então, se você é fã dos trabalhos mais atuais da Madonna, vai precisar de um tempinho para digerir o “Bedtime Stories”, pois a sonoridade do disco é mais próxima da era “Erotica”, que é outro divisor de águas na carreira da cantora.

Resultado de imagem para madonna bedtime stories

Após um disco sexual, cheio de fantasias e poesias quentes, Madonna experimentou falar sobre amor. Tudo o que ela fez de hits dançantes durante sua carreira até então, foi compensado em lindas baladas românticas, sobre amor ou simplesmente sobre a vida. E nunca menospreze a capacidade de composição desta mulher, pois as letras são surpreendentes.

O álbum é aberto com a faixa “Survival”, que além de ser super gostosa de ouvir, tem uma letra muito interessante. Nela, Madonna confessa não ser nenhum anjo e assume ser indecisa quanto ao lado espiritual, pois não sabe se irá para o céu ou para o inferno.

A segunda faixa é “Secret”, que foi o primeiro single do disco. A canção é uma balada acompanhada de violão, violino e percussão. Na letra a cantora fala sobre encontrar alguém que deu sentido em sua vida e lhe devolveu a felicidade.

Logo após vem “I’d Rather Be Your Lover”, que é uma canção bem safadinha. Madonna canta sobre quando você conhece alguém que potencialmente pode virar seu amante. É um groove muito bom.

“Don’t Stop” é a quarta faixa, onde Madonna traz um pouco das influências do Reaggae, estilo com o qual ela já trabalhou antes. Sua letra é simples e fala sobre se divertir em uma pista de dança e deixar o ritmo te levar. É a mais esquecível do disco, mas não é ruim.

Já a faixa “Inside Of Me” é um pouco mais profunda, pois a cantora fala sobre a morte de sua mãe. Madonna contou isso em entrevista, alegando que a canção pode passar por uma balada romântica sobre saudade. É uma música realmente muito triste.

A próxima é “Human Nature”, que é um verdadeiro afronte. A artista fala sobre ser boicotada por fazer tudo o que os homens de sua época já faziam há muito tempo antes dela. Em um dos trechos ela canta “Eu disse algo errado? Ops, eu não sabia que não podia falar sobre sexo! Eu devia estar louca“.

“Forbidden Love” vem logo em seguida e é uma das melhores faixas de todo o disco. Os fãs costumam confundir, pois Madonna tem duas faixas com esse nome, mas essa é definitivamente a melhor. É uma balada super gostosa sobre viver um amor proibido.

A faixa “Love Tried To Welcome Me” faz uma alusão à um poema de um padre anglicano, que fala sobre o amor de Deus, o transformando em uma canção sobre a solidão e como é difícil aceitar o amor, após tanto tempo sem ter contato com o amor verdadeiro.

“Sanctuary” é uma canção bem complexa, quase que uma poesia romantista. Madonna canta sobre ver o lado bom mesmo nas situações mais difíceis e diz ter encontrado um santuário na pessoa que ama.

Logo vem a faixa “Bedtime Story”, que foi escrita pela Björk, e não é atoa que é uma das canções mais “esquizitas” de Madonna, junto de “Love Song”. A letra é realmente bem poética, pois fala sobre a essência das palavras e a perca de significado delas. O clipe da música foi o mais caro da carreira de Madonna até então, porém não fez tanto sucesso.

O álbum é encerrado com a balada master “Take A Bow”, que foi o verdadeiro sucesso do álbum. A canção é em colaboração com o cantor Babyface, que foi muito famoso nos anos 90. Sua letra fala sobre um amor de fachada, que já não está mais dando certo.

Resultado de imagem para madonna bedtime stories

Além de trazer um dos melhores registros vocais de Madonna, “Bedtime Stories” marca um período muito importante em sua carreira, pois a maturidade artística da cantora está em real evidência. Suas letras são poderosas e algumas delas são inspiradas em poemas religiosos, algo que poucos perceberam. Uma pena que o álbum não tenha o reconhecimento que merece.

Ouça na íntegra:

Comenta ai :]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.