CRÍTICA: After Hours – The Weeknd

Abel Tesfaye, mais conhecido como The Weeknd, lançou seu 4º álbum de estúdio intitulado “After Hours” nesta última sexta-feira(20). O último trabalho do cantor de R&b alternativo foi o EP “My Dear Melancholy,” onde abordou as relações com Selena Gomez e a modelo Bella Hadid.

Resultado de imagem para the weeknd after hourscover art

Com 14 faixas, o cantor ja havia divulgado dois singles no final de 2019, “Heartless” e “Blinding Lights”. O disco possui o mesmo nome de um filme de 1985 do diretor e ídolo de Abel, Martin Scorsese que narra a noite confusa e indistinta de Paul Hackett, um escritor apaixonado de Nova York.

Nas três primeiras faixas e na faixa título do álbum percebemos que Abel voltou a sua era mais dramática e sombria, lembrando “Trilogy” seu primeiro compilado de mix tapes lançado em 2012. Também possui novas influencias e sonoridades, em “Hardest to Love” sai as batidas eletrônicas mais conhecidas para o gênero liquid drum & bass, pouco utilizado dentro do pop.

“Scared To Live” e “Save Your Tears” são as duas baladas do álbum, um tanto incomum dentro dos outros trabalhos de The Weeknd mas que falam sobre relacionamentos, algo que conhecemos bem. “Save your Tears” se destaca ainda mais por ter uma batida super anos 80 e fortes sintetizadores.

Escape from LA” soa como a mais sombria de todo álbum. Fala sobre as dificuldades e infidelidades dentro do relacionamento, colocando a “culpa” na agitada cidade de Los Angeles e que para uma boa convivência a melhor opção é fugir de lá. Há ainda rumores de que seria uma referência de Abel a sua ex-namorada Bella Hadid.

“Você pode encontrar amor, medo, amigos, inimigos, violência, dança, sexo, demônios, anjos, solidão e união, todos depois do horário comercial.”

The Weeknd via Apple Music

“After Hours” é uma visita a todos esses sentimentos, prazeres e decepções de Abel em melodias e produções incríveis. As faixas detalhadas foram as que mais me chamaram atenção, mas, este novo trabalho pode ser ouvido horas e horas sem se cansar e percebendo a cada repetição todos as minuciosidades das letras e do que elas transmitem.

Nota: 10/10

Ouça:

Um comentário sobre “CRÍTICA: After Hours – The Weeknd

Comenta ai :]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.