“A Diarista” tinha tudo para ser um clássico da comédia, mas é racista, machista e homofóbica

Se lembra daquele meme que diz que a “A Diarista”, seriado de comédia produzido pela Globo, era muito melhor e superior que “Friends”, que tem seu enredo e elenco julgado por não conter tantos atores negros? Pois é, pior que não ter atores negros em seu casting é usar da negritude para fazer piadas ácidas e racistas.

A Diarista': Como está o elenco 15 anos após a estreia da série ...

A série estreada em 2004 conta com 4 temporadas que duraram até o ano de 2007. Esta apresenta Marinete, interpretada por Cláudia Rodrigues, uma diarista muito humilde com uma personalidade bem forte que sempre está trabalhando em um local novo.

Essa infinidade de cenários faz com que cada episódio seja uma grande aventura onde Marinete sempre tem que resolver algum problemão. As personagens secundárias são a icônica Solineuza e a Dalila, vizinhas da principal.

“A Diarista” caiu na boca do povo por mostrar uma protagonista que representa grande parte da população brasileira. Marinete é carioca e tem bastante sotaque, abusando muito das gírias que fazem o público cair na gargalhada. Quem ai não se lembra dela chamando a Solineuza de “poia”?

yan on Twitter: "solineuza served LOOKS… "

E olha que a personagem de Dira Paes conquistou o coração dos telespectadores, fazendo com que Solineuza aparecesse ainda mais na série, ganhando mais notoriedade conforme as temporadas. A graça dela é sua ingenuidade e seu coração de criança, logo Solineuza acaba por ser um dos maiores alívios cômicos de uma série que já é de comédia.

Fui motivado a ver o seriado graças à uma conta do Twitter chamada “out of context a diarista”, que publica pequenos recortes da série, esses muito engraçados e capazes de fazer qualquer um rir. Assisti mais da metade da primeira tempoarada e já percebi muitos problemas no roteiro.

Primeiro que Marinete tem um cabelo de textura crespa, e Solineuza sempre faz questão de ressaltar o quanto o seu é melhor, e se não bastasse esses comentários desnecessários, ainda temos um grande problema com homofobia. Todas as vezes que aparecem personagens homossexuais, e olha que tem bastante personagem gay nessa série, eles apenas servem para sofrer chacota, sendo chamados de boiolas, entre outras formas de ofensa.

Existe um episódio na primeira temporada onde Marinete vai trabalhar na casa de uma família japonesa e ela desrespeita por completo a cultura deles, além de fazer piada com o tamanho do pênis dos patrões. É disso pra pior. A vizinha de Marinete, Dalila (Cláudia Mello), sofre violência doméstica e em um dos epísódios a protagonista diz “olha Dalila, mas não é que uma dessas pancadas que seu marido te deu serviram pra te deixar inteligente“.

A Diarista': Como está o elenco 15 anos após a estreia da série ...

Em um dos episódios da temporada de 2005 Marinete sonha que tem um filho com seu patrão, o Figueirinha (Sérgio Loroza), um homem negro e gordo, entretanto o bebê nasce branco de cabelo crespo. Figueirinha então pergunta “vamos fazer outro?” e Marinete responde “não, esse aqui eu salvei na cor, mas o cabelo é seu“.

Não é atoa que a Globo não reprisa a série, que está apenas disponível no Globo Play e é reprisada no canal Viva. Tendo em vista que estamos vivendo a era do cancelamento a Rede Globo com certeza seria duramente criticada caso decidisse incluir o seriado dentro de sua programação, e seria criticada com motivo, já que “A Diarista” envelheceu muito mal.

Infelizmente a atriz Claudia Rodrigues foi diagnosticada com esclerose multipla, o que a impediu de continuar atuando. Mas afinal, qual a sua opinião sobre o tipo de humor de “A Diarista”?

Atriz do seriado “A Diarista” corre risco de perder a visão ...

12 comentários sobre ““A Diarista” tinha tudo para ser um clássico da comédia, mas é racista, machista e homofóbica

  1. O país pegando fogo e o militante problematizando uma série gravada há quase 20 anos.

    Juntou cabeça oca e quarentena e saiu essa merda aí.

    Curtir

  2. Na vdd eu não desacredito dessa matéria, a diferença de antes pra agora é q antigamente a galera era mais relaxada pra esse tipo de comentário, de programa, hj em dia há uma problematização em quase td e isso torna td mais chato.
    Não q não seja necessário se posicionar sobre isso, mas há muita chatice na militância, isso tem mesmo.

    Curtir

Os comentários estão desativados.