Seria Donna Summer a primeira cantora cancelada pelos gays?

Assim como Madonna, Kylie Minogue, Robyn, Lady Gaga, Beyoncé, entre dezenas de outras cantoras Pop, Donna Summer também consagrou sua carreira com base no seu público gay. No início, quando Donna estava dando seus primeiros passos em direção ao estrelato, ela aceitava de tudo na esperança de que alguma de suas músicas ficasse famosa. Nasceu então “Love To Love You Baby” de 1975, que foi sampleada por Beyoncé anos mais tarde em “Naughty Girl”.

Essa canção em específico, para a época, foi considerada muito sexy e vulgar, pois fala sobre sexo e é cantada em um tom sussurrado, que Donna explicou ter sido inspirado por Marilyin Monroe. Além disso a música é cheia de gemidos sexuais. Donna não tinha preconceitos, tampouco medo de sujar sua imagem.

CIRCA 1976: Queen of disco Donna Summer poses for a portrait in circa 1976. (Photo by Michael Ochs Archives/Getty Images)

Donna sempre foi muito extravagante, ela soava como a Lady Gaga soa para nós agora, e como Madonna nos anos 80. A cantora ficou conhecida como a “Rainha Da Disco Music”, que é um título em tanto e é uma posição inegável, tendo em vista tudo que a cantora fez pelo estilo musical na década de 70.

Suas músicas tocavam nas famosas discotecas, locais esses que lançavam grandes tendências, quem assistiu “Os Embalos de Sábado à Noite” deve estar familiarizado com o que estou falando. Grande parte do público que frequentava esses estabelecimentos eram da comunidade LGBTQ+, e logo Donna Summer já era amada e idolatrada por eles, virando também a “rainha dos gays”.

As produções das músicas de Donna Summer eram impecáveis e seus vocais poderosíssimos chamavam atenção de ainda mais pessoas, e sendo assim o estrelato era inegável, “I Feel Love” que o diga, a artista chegou a juntar forças com outra diva dos gays, a lendária Barbra Streisand – que também já foi cancelada pelos gays, mas ai é outra história – no single “Enough Is Enough (No More Tears)” de 1979.

Com sua massa de fãs formada e seu nome em todos os lugares, nada poderia parar Donna Summer, a não ser ela mesma. Um artigo muito famoso do site “The Guardian” explica que Donna Summer nunca quis ter um público gay, ela sempre ansiou por mais, e ela realmente achava que sua música conseguia chegar em muitos públicos diferentes, e esse foi seu maior erro.

Em sua vinda ao Brasil no ano de 1995, a cantora explicou ao apresentador Jô Soares que estava seguindo uma religião cristã e que já não acreditava nas letras que cantava 20 atrás, como a icônica “Love To Love You Baby”, mas essa posição religiosa implicou outros episódios também. Está mais do que claro que tanto o catolicismo e as religiões cristãs protestantes nunca gostaram muito dos homossexuais, e Donna Summer parecia não gostar muito também, pois começaram a surgir alguns burburinhos envolvendo seu nome.

Em meados de 1983, quando Donna estava se voltando para a religião, surgiram certos comentários em seus shows, como o clássico “Deus não criou Adão e Steve”, além de um certo comentário sobre a Aids ser um “castigo divino” – comentário que Donna Summer negou mais tarde ao perceber que seu público gay era realmente importante para que ela tivesse público em seus shows – entre outros comentários polêmiocos supostamente ditos por ela. Isso custou muito caro para Donna.

Donna Summer nas mãos do Chromeo, Hot Chip, Giorgio Moroder e Holy ...

Infelizmente a cantora veio a falecer no ano de 2012, deixando para trás uma carreira invejável, com dezenas de hits. Apesar de certos episódios, Donna Summer foi uma precursora da música Pop, uma das primeiras a investir no New Wave e transicionar seu som de acordo com o mercado.

Um dos meus álbuns favoritos de sua discografia é o “Cats Without Claws” de 1984. Vale a pena citar que Donna possui em seu portifólio o total de 5 Grammy Awards. Não é brincadeira. Mas qual é a sua opinião sobre esse relato?

Fontes: https://www.newyorker.com/culture/culture-desk/grace-jones-donna-summer-and-the-power-of-disco

https://www.theguardian.com/commentisfree/2012/may/18/donna-summer-accidental-gay-icon

Donna Summer | Artist | www.grammy.com

3 comentários sobre “Seria Donna Summer a primeira cantora cancelada pelos gays?

  1. cancelamento= boring…
    não se nega o valor cultural e musical de ninguém por seus posicionamentos.
    ninguém deixaria de usar a lâmpada se descobrissem posicionamentos controversos de thomas edison, estou enganado?

    Curtir

Comenta ai :]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.