Smile: Katy Perry narra uma linda história com um final feliz

Realmente nunca acaba, a determinação de Katy Perry é de se elogiar. A cantora lançou em 2017 o álbum “Witness” que foi um divisor de águas em sua carreira, o disco foi severamente criticado pela mídia e por sua própria fãbase, o que resultou no agravamento de sua depressão.

Após o fim de sua era, com o encerramento da “Witness The Tour” em 2018, Katy começou a estudar sua própria carreira e a forma como seguiria nela sem que isso afetasse sua saúde mental. A artista revelou que a briga pelo #1 nos charts a adoeceu, então em 2019 Kary Perry lançou alguns singles avulsos, sem promessa de álbum.

Em 2020, no entanto, a cantora revelou que estava trabalhando em um projeto, e foi então lançado o lead single “Daisies” no mês de maio dando início à era “Smile”. Katy explica que o objetivo de seu quinto álbum é ajudar seus fãs a recuperarem o sorriso, mas essa frase diz muito mais sobre ela.

O disco em si veio ao mundo em 28 de agosto de 2020 – um dia após o nascimento de sua primeira filha – precedido pelos singles “Daisies” e a faixa título do disco. Também foi lançada a faixa “What Makes A Woman” de forma promocional.

Lançado pela Capitol Records, o álbum “Smile” conta com cerca de 19 produtores, incluindo o DJ Zedd e Charlie Puth. A obra é predominantemente Pop, mas tem algumas influências do Hip-hop e do Folk. No geral, eu diria que é um disco bem agitado com altas doses de serotonina, tudo o que os fãs da Katy amam.

Apesar de ter uma sonoridade próxima do Eletropop, “Smile” conta com muitos instrumentos físicos, como o trombone, trompete, saxofones, guitarras, violão, piano e baixo. Katy explorou seus vocais ao máximo, entregando uma performance incrível.

O tema central do álbum “Smile” é justamente à procura de Katy Perry por sua saúde mental. Em entrevista ao podcast da Apple a cantora revelou que o hate que sofreu após 2017 a adoeceu e fez com que ela se aproximasse das bebidas alcóolicas.

Visualmente a era é inspirada no circo, onde Katy é uma palhaça triste, nos levando a entender que ela faz de tudo para agradar seus fãs, aparentando estar feliz, mas no fundo ela se sente desprezada.

A música que abre o disco é “Never Really Over”, lançada em 2019. É a canção de destaque do disco. A construção instrumental é perfeita e bem chiclete, mas em sua letra Katy fala sobre seu estado mental, usando metáforas para se referir ao triste momento de sua carreira e seu término com Orlando Bloom. Sua mensagem é de que tudo bem precisar de ajuda, você não é menos forte por isso.

“Cry About It Later” vem em seguida, sendo uma das favoritas dos fãs. A canção tem um ótimo crescimento melódico e um solo de guitarra maravilhoso. Katy Perry canta sobre deixar os momentos tristes para depois e viver sua vida, ainda que no fundo exista algum resquício de tristeza.

“Teary Eyes” é a terceira música do álbum e soa como uma continuação da faixa anterior. Essa é um pouco mais dançante, sendo perfeita para fazer coreografias. A cantora fala sobre como os momentos tristes podem nos dominar, e tudo que podemos fazer é aceitá-los, lidar com eles e então superá-los, mas sem deixar de viver intensamente por isso.

Em “Daisies” Katy entra em processo de superação, deixando todos os momentos ruins para trás. O single traz um instrumental bem pesado e intimista, com vocais tão intensos quanto. A artista canta sobre ser uma sonhadora, apesar do mundo ter tentado roubar seu sorriso, ela será a mesma até o dia de sua morte.

Logo em seguida vem “Resilient”, uma canção que fala muito sobre o peso da fama. Katy fala sobre o quanto é cobrada e quanto mais exposta ela está, mais julgamentos aparecem. A ponte dessa é perfeita, com um conjunto de cordas tocando ao fundo. A cantora transparece sua auto segurança.

Em seguida temos a impressionante “Not The End Of The World”, que lembra bastante a canção “Black Widow” de Iggy Azalea (que no caso foi a Katy que escreveu). É uma canção que traz referências do Hip-Hop, com um instrumental à base de cordas que carrega um clima apocalíptico. A letra fala justamente ao contrário, não se desespere com situações ruins, pois não é o fim do mundo.

A faixa título (Smile) vem logo após, trazendo um clima mais leve e divertido. É uma música bem chiclete com versos simples que falam sobre estar feliz e agradecida pela vida que tem, apesar dos pesares.

Com influências da Disco Music “Champagne Problems” soa como um suspiro de alívio. Katy Perry está finalmente firmada com seu marido Orlando Bloom, após os momentos difíceis que tiveram, e então montou sua família com ele. Agora tudo que lhes restam são problemas superficiais que eles podem resolver sem se estressar. A partir daqui o álbum fica super leve.

Alguém ai se lembra de “Peacock” do “Teenage Dream”? Pois “Tucked” soa como uma continuação. O arranjo é super dançante e a letra é super divertida e bem safada. Katy Perry fala sobre viver uma fantasia sexual bem picante, mas tão picante que ela não conta para ninguém e mantém isso em segredo.

“Harleys In Hawaii” é outro single de 2019 que Katy aproveitou para o álbum. A canção tem uma vibe bem romântica e conta com influências do R&B. Katy canta sobre viver momentos sexys e intensos com seu marido no Havaí, celebrando seu amor.

“Only Love” traz uma reflexão bem séria sobre como a saúde mental é importante para nos mantermos estáveis no dia a dia. A canção fala sobre o declínio emocional de Katy, levando-a a tomar a decisão de tirar sua própria vida, então ela diz que se fosse de fato se matar, ela ligaria para sua mãe e escreveria uma carta ao seu pai. No entanto decide seguir com sua trajetória e absorver apenas o amor.

O álbum é encerrado com “What Makes A Woman”, uma canção tocada ao violão de forma intimista. Katy a dedica para sua filha Daisy e na letra fala sobre a essência de uma mulher e o que de fato é ser uma. A cantora então reflete e conclui que não há como defini-las.

O disco se inicia com a frase “Eu estou perdendo meu próprio controle” e é finalizado com a fala “Aí está, Katheryn“. Katy Perry finalmente recuperou seu sorriso, esse que veio junto com um combo imenso de amor, por parte de sua família, amigos, fãs, e principalmente pelo nascimento de sua primeira filha “Daisy Dove Bloom”.

“Smile” é um álbum completo, com tudo que se tem direito. Há momentos reflexivos, dançantes, românticos, sexys, etc. É uma obra essencial para todos os amantes de música pop, assim como o “After Laughter” do Paramore e o “Chromatica” de Lady Gaga que também falam sobre declínio mental e emocional.

Ouça na íntegra:

Um comentário sobre “Smile: Katy Perry narra uma linda história com um final feliz

Comenta ai :]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.